A cultura é dinâmica e se molda de acordo com as necessidades e acontecimentos e é assim que acontece na comunidade de Gracismões. Há algum tempo a cultura da comunidade se manifestava através do Bumba-meu-boi, dramas, cantorias, entre outros.

 
 
 
“Quem não vive as próprias raízes não tem sentido de vida. O futuro nasce do passado, que não deve ser cultuado como mera recordação e sim ser usado para o crescimento no presente, em direção ao futuro. Nós não precisamos ser conservadores, nem devemos estar presos ao passado. Mas precisamos ser legítimos e só as raízes nos dão legitimidade”  (Pedroso (l999).

 

Atualmente ainda existem as cantorias, onde as pessoas se reúnem e oferecem músicas umas as outras, no entanto, a cultura religiosa que antes não era tão disseminada pelo fato de ainda não existir uma igreja na comunidade, agora é considerada o ponto mais forte da mesma, levando em consideração que a igreja promove eventos como, por exemplo, a tradicional festa do padroeiro com barraquinhas e brincadeiras, além de outros eventos em que os moradores desenvolvem um belo papel religioso.