COMUNIDADE E SUA ORIGEM
Esta pesquisa teve o objetivo de resgatar a sua comunidade, seus costumes e tradições, vivenciados há anos  atuais como tudo acontecem e que faz parte da história, esta comunidade mesmo pequena tem a sua história, que devemos registrar para todos conhecê-la.

 

Timbaúba o seu nome se dar origem, por causa de uma árvore que se chamava Timbaúba, e dos Simplício pelo o seu Chico Simplício, por ter sido o 1omorador da comunidade o qual deixou de herança o seu nome aos seus vários descendentes, como os demais moradores como;Família Simplício Sampaio Bebem, Gonçalves Chico Coelho, Pade e Ferreira, e assim ficou registrada com o nome  Timbaúba dos Simplício.Timbaúba, situa-se a margem do rio Banabuiú, com apenas 2.700 metros de extensão e distante do centro da cidade (Russas) 7 quilômetros,  mesmo sendo tão perto do rio os terrenos não são baixo, os poços que eles cavaram, para tirar água para o seu consumo, são bastaste profundos. No início eram só 5 moradores isso à mas de 150 anos, hoje conta com 166 pessoas.

Na comunidade ainda existe a casa, que foi construída pelo o seu Chico Simplício há mais de 150 anos e na frente da mesma um pé de juazeiro que seu Chico lavrou as carnaubeiras para fazer linhas para sua casa, e um tamarindeiro pelo o lado do sol poente da casa, e o juazeiro que até hoje abriga pessoas e animais do sol do meio dia. E última moradora foi a Neném neta do seu Chico Simplício e o atual prefeito de Russas é descendente da comunidade e sobrinho da Neném que já faleceu. As pessoas cedo começavam a trabalhar, as mulheres as quem podia trabalhar, faziam costura e artesanato com palha da carnaúba, os homens plantavam feijão, algodão, batata, milho, macaxeira e jerimum. Vivia também da criação de ovelhas, corte da palha da carnaúba para tirar o pó e fazer a cera. Todos trabalhavam em mutirões, ajudando os outros na limpa de um cercado, quando ia fazer a debulha do milho e feijão.

O estudo era muito difícil, pois aqueles que se interessavam tinham que ir até a cidade a pé para  aprenderem a ler. Na época não existia médico, e sim farmacêutico e quando uma mulher engravidava quem fazia o parto, era uma mulher que todos os chamavam de Parteira.O transporte mais usado era o jumento, cavalo e a bicicleta, As brincadeiras eram cavalo de pau (feito com pau ou talo), carrossel (um rolo de carnaúba colocado no meio de um pequeno pau no chão e rolava), chicote queimado, cabra cega, eles brincavam até cansar.
Em 1978, Rita de Cássia esposa do Sr. Irani filho do seu Bibiu (Bebem) morava na comunidade e sentia necessidade de construir uma sala de aula, pois a mesma já ensinava em casa de seu sogro. Rita foi até o Sr. Vicente de Matos que liderava na época e junto com a família Simplício, foram até o prefeito Dr. José Martins de Santiago que atendeu ao pedido dos mesmos.
O Sr. Vicente de Matos e o Sr. Laudelino doaram as terras e o Senhorzinho Cordeiro fez um empréstimo para que a obra fosse iniciada. E no mês de agosto a escola foi construída, com duas salas dois banheiro e uma pequena área coberta e cantina. A escola recebeu o nome de Pedro Simplício, por ser sogro dosr. Vicente de Matos, era e ainda é uma pessoa muito prestadora do serviços à igreja, no mesmo ano foi a inauguração mais o Sr Pedro Simplício já havia falecido, hoje este prédio ganhou o nome de CENTRO COMUNITÁRIO PEDRO SIMPLÍCIOS.

 No ano de 1996, no mês de agosto deu-se início a primeira reunião para a construção da capela e assim uma pessoa muito devota de são Francisco Xavier sugeriu o nome e Pe. Moreira Vigário acatou a sugestão e no mesmo ano em Dezembro foi realizada a 1a festa, com novenas e todas as noites tinha barraquinhas e no último dia teve  seresta e leilão no 1o ano a capela não esta construída estava só o alicerce. E até hoje existe as noves noite de novenas.
Esta pesquisa foi relato, de várias pessoas que moravam na comunidade são elas: Neném, Sr.Epifânio, Braz, Bibiu e Francisco Gonçalves. (In memória).